You are currently viewing Prefeitura de Campo Grande renova contratos de 215 Médicos
Prefeitura renova contratos com médicos para garantir serviços de saúde da capital

Prefeitura de Campo Grande renova contratos de 215 Médicos

Contrato terminaria nos próximos dias, mas profissionais de diversas áreas continuam atendendo nas unidades

A Prefeitura de Campo Grande renova os contratos de 215 médicos temporários de diversas áreas para atender a demanda das unidades de saúde. A dispensa dos profissionais já estava programada para os próximos dias.

Os médicos fazem parte do cadastro temporário da prefeitura e atenderam a demanda das unidades de saúde da Capital durante a pandemia. Dessa forma, publicou-se a renovação dos contratos no Diogrande desta sexta-feira (29).

A maioria dos profissionais convocados para renovação são clínicos gerais. Entretanto, há vários que atuam em outras áreas como médicos de saúde da família, saúde mental, pediatras, ortopedista e entre outros.

Campo Grande renova contratos

A seleção de todos os médicos ocorreu via inscrições no cadastro temporário. O objetivo é que eles complementem o quadro da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) durante os próximos meses.

“Da mesma forma que foi feita a primeira convocação destes médicos, esta também tem um prazo para ser finalizada, sendo, desta vez, menor que o anterior, em sua maioria”, explicou o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho

Conforme informado pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), os profissionais continuarão atuando até a finalização de seu contrato nas mesmas unidades onde já estão lotados.

O déficit e a luta para contratar mais médicos

Entretanto, o déficit de médicos na rede municipal de Campo Grande é de pelo menos 300 profissionais. A informação é do presidente do Conselho de Saúde do Distrito Norte, ao participar da apresentação do balanço das contas da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), na Câmara de Vereadores.

Segundo o presidente do conselho, Caio Aguirre, a maior deficiência está na atenção básica onde há falta de 250 profissionais. Eles deveriam atuar nos atendimentos preventivos, orientando a população e até evitando a ocorrência de algumas enfermidades.

Na ocasião, de acordo com ele, a Sesau abriu três chamadas para preencher essas vagas, mas não conseguiu dar sequência às contratações devido à ausência de mão-de-obra.

Entretanto, depois de tantos esforços para conseguir contratar os 250 médicos necessários, restou a medida de renovar o contrato para garantir um atendimento de saúde com qualidade ao município.