You are currently viewing Brasil recebe novo lote de vacinas Pfizer
O país recebeu ontem mais de 1 milhão de vacinas e até 1º de Agosto serão entregues mais 13 milhões

Brasil recebe novo lote de vacinas Pfizer

Mais lotes da Pfizer  chegarão  ao Brasil até o dia 1° de agosto trazendo os imunizantes da farmacêutica norte-americana,  serão entregues mais de 13 milhões de doses ao país

O Brasil recebeu na noite 22/7 uma nova remessa com 1.053.000 doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19. O lote desembarcou no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e será destinado ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Até o dia 1° de agosto mais 11 voos chegarão ao Brasil trazendo os imunizantes da farmacêutica norte-americana. Nesse período serão entregues mais de 13 milhões de doses ao país.

30 milhões de Pfizer este

Segundo o Ministério da Saúde, quando essas remessas previstas para os próximos dias forem totalmente entregues, o Brasil terá recebido 30 milhões de doses da Pfizer neste ano.

Primeiramente, a remessa desta quinta-feira é a 25º entregue pela Pfizer ao Brasil. O lote faz parte do primeiro contrato, assinado em março deste ano, que prevê 100 milhões de vacinas até o final de setembro.

No entando, outro acordo, firmado em maio, estabelece outras 100 milhões de doses entre outubro e dezembro.

Segunda dose da vacina atrasada no Brasil

Mais de quatro milhões de pessoas em todo o Brasil não voltaram para receber a segunda dose da vacina contra a Covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 7% dos indivíduos com mais de 60 anos não completaram ciclo de imunização.

Os estados que apresentam os maiores índices de abstenção da segunda aplicação, em torno de 10%, our seja, são Amazonas, Bahia, Pará, Ceará e Rio de Janeiro.

Já em São Paulo, esse número cai para 4,6%. Segundo a última atualização da secretaria estadual de Saúde, ou seja, pelo menos 642 mil moradores não voltaram aos postos para completar a imunização contra a doença.

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, reduzindo as chances de morte e internações. Embora não impeça o contágio nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).